Senador em Brasília pretende criar “imposto da cidadania” para ítalos-descendentes

fausto_longoO senador do parlamento italiano, Fausto Longo, decidiu que vai apresentar um projeto que visa criar uma taxa anual para todos os brasileiros que tem cidadania italiana reconhecida, mesmo que não possuam passaporte italiano. Sua ideia tem como base de que a Itália não precisa pagar sozinha por seus funcionários para cuidarem dos processos de reconhecimento da cidadania italiana. E que o imposto anual seria diretamente revertido para os consulados, dando assim, chances de contratar mais pessoas e encurtar as filas e os prazos dos processos.

O senador ainda se explica: “Precisamos passar para as pessoas – diz ele – que cidadania é um pacto entre a pessoa e o Estado. Não se transmite biologicamente. Cada pessoa tem que assumir um compromisso de compreender que ser cidadão é ter deveres e direitos e normalmente nós, ítalo-descendentes, temos a mania só de exigir que a Itália nos dê o direito de cer cidadãos, mas nunca perguntamos qual a contrapartida que a Itália precisa”.

O Brasil e a Itália possuem há mais de três décadas um acordo contra dupla tributação.

O senador Fausto Longo é o primeiro brasileiro residente no Brasil a assumir uma cadeira no parlamento italiano. Eleito com aproximadamente 30 mil votos em março desse ano, garantiu seu lugar entre as duas cadeiras que o senado oferece aos ítalo-descententes da América do Sul.

Agora, você é favor ou contra o projeto? Deixe seu comentário!

Fonte: Insieme

Comente

Comentário(s)